Pesquisar

A coroação de Carlos Magno

Carlos Magno, rei dos Francos, foi coroado imperador do Sacro Império Romano pelo papa Leão III, na antiga Basílica de S. Pedro, a 25 de dezembro de 800. O rei encontrava-se em Roma há várias semanas e tinha assegurado a proteção do papa após este ter sido atacado pelos habitantes da cidade.

Aparentemente, a coroação de Carlos Magno como “imperador dos romanos” ocorreu de forma inesperada, quando este se ajoelhou durante a missa. Persistem dúvidas sobre se Carlos tinha conhecimento das intenções e motivações do papa, o que continua a ser discutido pelos historiadores. Há quem diga que se tratou de um simples ato de gratidão por Carlos o ter protegido, mas outros autores afirmam que esta aliança entre a Igreja e o império era mutuamente proveitosa e que, portanto, se tratou de um projeto que necessitava do compromisso e da preparação por ambas as partes. Seja como for, a coroação de Carlos Magno constituiu um momento fundamental na formação da Europa Medieval.

 

  • Quem era Carlos Magno e qual a importância dessa coroação?

Carlos era filho do rei franco Pepino, chamado “o breve”, a quem sucedeu no ano de 768. O seu reinado foi marcado por uma longa sucessão de campanhas militares, que o levaram a alargar progressivamente os seus domínios, primeiro na Itália, depois na Península Ibérica e ainda nas regiões a leste, nas atuais Alemanha, Áustria e Suíça. A expansão dos seus territórios correspondeu ao avanço do cristianismo e à conversão, muitas vezes pela força, de diversos povos da Europa Central. A sua coroação como “imperador dos Romanos” pelo papa, em 800, teve um grande significado ideológico, porque correspondia, por um lado, a uma restauração do Império Romano, que tinha desaparecido mais de 300 anos antes, e significava igualmente uma recusa da autoridade do império bizantino, ou Império Romano do Oriente. Os historiadores concordam, de um modo geral, que o facto de em Bizâncio reinar uma mulher, a imperatriz Irene, foi o fator decisivo que levou o papa a considerar que o lugar de imperador romano estava, na prática, vago.

 

  • Que consequências teve?

A coroação de Carlos Magno é considerada por alguns como a data mais importante de toda a Idade Média, por ter definido o rumo da Europa Ocidental durante os séculos seguintes. Por um lado, o prestígio da restauração do Império Romano concedeu aos seus sucessores um ascendente inegável sobre os restantes monarcas e chefes europeus; depois, porque o Império Carolíngio, que fundou, foi de facto o mais importante reino da Europa Ocidental no século IX, e que veio a dar origem ao reino da França.

O Sacro Império Romano, de que Carlos foi o primeiro titular e que mais tarde se designou por Romano-Germânico, tornou-se na maior potência europeia no século XIV e posteriormente no século XVI, durante o reinado de Carlos V. Na verdade, durou mil anos, porque persistiu como defensor da Igreja Católica e herdeiro de Carlos Magno até 1806, data em que o imperador Francisco II foi forçado a abdicar após ter sido derrotado por Napoleão na batalha de Austerlitz

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Coroação de Carlos Magno
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Carlos Magno: João do Cró [Public domain], via Wikimedia Commons

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui