Pesquisar

A Declaração de Potsdam

Ficou conhecido como “Declaração de Potsdam” o documento emitido no decorrer da Conferência que teve lugar nessa cidade alemã e que reuniu os vencedores da guerra após a rendição da Alemanha nazi, declarada algumas semanas antes. Porém, a vitória dos Aliados na Europa não significava o fim da guerra, uma vez que o conflito prosseguia no Pacífico, contra o Japão.

No decorrer da Conferência, os líderes de três potências aliadas concordaram na emissão de um documento conjunto. Foram eles o presidente Harry Truman, pelos EUA, o Primeiro Ministro britânico Clement Attlee e o general Chang Kai Shek, chefe do governo nacionalista da China. A União Soviética não participou na sua elaboração, porque não se encontrava em guerra com o Japão. Nesse dia, os três líderes declararam que a luta contra o Japão iria prosseguir até à sua rendição incondicional e anunciaram um conjunto de termos e condições para o fim da guerra.

 

  • O que dizia a Declaração?

O documento exigia a rendição de todas as forças armadas japonesas e anunciava a ocupação militar de parte do país pelos Aliados, assim como a limitação da sua soberania, em termos a anunciar e a decidir posteriormente. A linguagem era ambígua e pouco clara sobre a forma como essa ocupação iria ter lugar e acerca do modo como o poder seria exercido, isto é, se continuaria a existir um governo nacional e se a figura do imperador seria afetada. No entanto, a Declaração especificava que não era intenção dos Aliados destruir a nação, mas apenas perseguir os criminosos de guerra.

A liberdade de expressão, a liberdade religiosa e os direitos humanos seriam respeitados e o Japão teria direito a desenvolver a sua economia e a participar no comércio internacional. Por fim, os Aliados comprometiam-se a retirar as suas forças do Japão logo que estes objetivos fossem cumpridos.

Para todos os efeitos, tratava-se de um ultimato. Os seus termos não estavam sujeitos a negociação e a Declaração afirmava claramente que, caso fosse rejeitada, o Japão seria sujeito a uma destruição imediata e total.

 

  • Qual foi a resposta?

A Declaração de Potsdam foi divulgada na noite do dia 26 e imediatamente transmitida ao Japão, via rádio, em inglês e japonês. Aviões norte-americanos lançaram milhões de folhetos por todo o território japonês com o texto, mas nada circulou pelos canais diplomáticos. Aparentemente, o governo japonês estava dividido sobre a decisão a tomar, mas acabou por responder de modo hesitante e ambíguo, talvez para ganhar tempo e tentar negociar e clarificar os termos da rendição. Isto foi entendido como uma rejeição por parte das autoridades norte-americanas.

A ameaça de “destruição total” prevista na Declaração foi, portanto, cumprida, com a largada de duas bombas atómicas, a 6 e 9 de agosto de 1945. Neste último dia, a União Soviética declarou guerra ao Japão, antevendo assim uma derrota total.

No dia 15, o imperador anunciou, pela rádio, a sua aceitação da Declaração de Potsdam, assinalando a rendição total e, portanto, o fim da II Guerra Mundial.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - A Declaração de Potsdam
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Fotografia: Líderes aliados reunidos em Potsdam

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui