Pesquisar

A lenda do abade João em Montemor-o-Velho

Nenhum seria escravo. Cercados pelas forças muçulmanas, e acreditando que não podiam vencer, os cristãos degolaram as suas mulheres, crianças e velhos antes de partir para o combate. Só que, para surpresa de todos, venceram…

A lenda do abade João remonta ao século IX,  quando o castelo de Montemor-o-Velho foi conquistado aos mouros. Segundo a tradição a defesa da fortaleza foi entregue a um monge guerreiro com o nome de João, que anos antes encontrara um recém-nascido abandonado no campo, tendo-lhe dado o nome de Garcia.

Já adulto, Garcia tornou-se um renegado, um convertido ao islão, pondo cerco a Montemor com um exército muçulmano. Com o tempo a situação tornou-se desesperada para os sitiados que viram esgotar-se a água e a comida.

Sem esperanças de vencer, os cristãos decidiram realizar um último grande ataque. Para evitar que as mulheres, crianças e velhos escondidos na fortaleza fossem feitos escravos, foi decidido degolá-los. Realizada a tarefa, saíram os cavaleiros para o que pensavam seria a última surtida mas, para surpresa de todos, conseguiram destroçar os muçulmanos e vencer a contenda…

Em desespero regressaram à fortaleza para chorar a morte dos seus familiares, mas tiveram uma grande surpresa: todos os degolados tinham ressuscitado.

Ficha Técnica

  • Título: A Alma e a Gente - Memórias de Montemor-o-Velho
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: José Hermano Saraiva
  • Produção: RTP/ Videofono
  • Ano: 2006

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui