Pesquisar

"A Portuguesa" com costela alemã

Depois de apresados os navios alemães nos portos portugueses e tendo a Alemanha declarado guerra a Portugal em Março de 1916, decide o governo republicano expulsar do país os súbditos alemães.

Decidiu também retirar a nacionalidade portuguesa aos alemães naturalizados portugueses, aos filhos de alemães, mesmo quando nascidos em Portugal, e até quem tivesse bisavós alemães precisava de autorização para ficar em território luso.

Aquilo com que o governo não contava era que houvesse uma ilustríssima figura – tão ilustre que nunca poderia ser expulsa – e que também tinha origens alemãs: Ao expulsarem os alemães, o governo esqueceu-se que o hino nacional “A Portuguesa” era afinal fruto do “sr. Alfredo Keil filho d’um allimão. Logo a Portuguesa é neta d’um allimão e portanto está incursa na lei publicada há dias. D’aqui é que não há que fugir. A Portuguesa é allimã e allimã dos quatro costados.”


Jornal “Os Ridículos” com o artigo humorístico sobre a genealogia do

Hino Nacional com os riscos da censura.
(Hemeroteca Municipal de Lisboa)

A “censura preventiva”, então em vigor impediu que muitos destes textos fossem publicados. O humor aparentemente também era considerado “boato ou informação capaz de alarmar o espírito público ou de causar prejuízo ao Estado, quer à sua segurança interna quer externa”, ou fazendo “afirmação ofensiva da dignidade ou do decoro nacional”.

Mas os próprios aliados, neste caso a França, haviam já criticado o hino nacional…

Ficha Técnica

  • Título: Postal da Grande Guerra - "A Portuguesa" com costela alemâ
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Sílvia Alves
  • Produção: RTP
  • Ano: 2016

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui