Pesquisar

A revolta da vila de Olhão da Restauração

Em 16 de junho de 1808, a população de Olhão revoltava-se contra os invasores franceses e expulsava-os da localidade. Alguns partem depois, num pequeno barco, para o Brasil com o objetivo de avisar o rei.

O rastilho para a revolta foi um edital onde Junot pedia aos portugueses que se alistassem para ajudar os franceses a combater a rebelião que grassava na Andaluzia.

Animados com o discurso de um ex-governador da região que se encontrava na aldeia, os habitantes de Olhão, a maioria pescadores sem qualquer instrução, pegam nas armas que têm à disposição e obrigam os franceses a abandonar a localidade.

O resto do Algarve segue-lhes as pisadas e os franceses são também obrigados a abandonar a região. Aproxima-se o final da primeira invasão francesa, que será confirmada mais tarde com as batalhas de Roliça e de Vimeiro.

Para avisar o rei de que os invasores tinham sido derrotados e que poderia voltar ao país, um grupo de pescadores parte numa pequena embarcação para o Brasil.

O rei não regressou mas transformou a aldeia em vila, por decreto régio, deu-lhe o título de “Olhão, da Restauração” e atribuiu aos pescadores cargos públicos.

Deste modo a pequena aldeia, que não teria mais de cinco mil habitantes, conseguiu separar-se de Faro e transformar-se em concelho.

Ficha Técnica

  • Título: Chegaram os Franceses!
  • Tipo: Extrato de Documentário
  • Autoria: Júlia Fernandes
  • Produção: RTP
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui