Pesquisar

Baleia Azul: o testemunho da primeira vítima do jogo

Solidão e falta de afeto levaram Irina Kornuty a entrar no jogo. Disse "sim" ao desafio, sem ter consciência que corria perigo de vida. Algumas provas realizada, duas marcas de automutilação depois e pediu para sair mas foi ameaçada. Ao cumprir mais uma tarefa ordenada pelo "curador", saltou de um viaduto durante a madrugada. A jovem de 18 anos conta a sua experiência para salvar outros adolescentes da maldita Baleia Azul.

Em finais de abril de 2017, a jovem de 18 anos, filha de pais ucranianos a residir em Albufeira, era notícia em todos os jornais portugueses.

Irina fora encontrada caída numa linha férrea, no que aparentava ser uma tentativa de suicídio. Além da fratura numa perna e de ferimentos vários, apresentava cortes nos braços e na coxa direita, onde tinha escrito “sim” com uma navalha. Foi este comportamento que levou a Polícia Judiciária de Faro a suspeitar que havia ali uma ligação ao jogo da “Baleia Azul”. A prova que faltava estava registada no telemóvel: a última mensagem recebida através de uma plataforma digital brasileira lançara-a no desafio do salto para a morte.

Irina saltou mas sobreviveu. A sorte que teve aproveita-a agora para alertar outros jovens antes que seja tarde demais. E para aconselhar os pais a estarem mais atentos e a abraçarem os filhos. Foi o sobretudo isso que mais lhe faltou. A mãe, Olenka Kornuty, reconhece a falha e promete que a partir de agora vai tudo mudar.

 

 

  • Temas: Cidadania, Saúde
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Jovem vítima da Baleia Azul em Portugal
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Soraia Ramos e Helena Figueiras
  • Produção: RTP
  • Ano: 2017

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui