Pesquisar

Batata, um alimento capaz de erradicar a fome no mundo

O que têm as batatas de especial é uma longa história com mais de 8000 anos e uma variedade que se conta em milhares de espécies conservadas como tesouros na sua terra de origem, o Perú. E mais especiais ficaram ainda quando a ONU as elegeu alimento do futuro, essencial para combater a fome no mundo. Porque estes tubérculos são nutritivos, versáteis na culinária e fáceis de cultivar.

Dos Andes peruanos para as terras da Andaluzia e da Galiza, a batata viajou nos barcos dos exploradores espanhóis em 1533, mas iria demorar muitas décadas a conquistar definitivamente o paladar dos europeus. Embora o cozinheiro de Luís XIV promovesse o exótico alimento na corte francesa, este acabou por ser atirado aos porcos ou usado como planta ornamental, passando a ter fama de comida de pobres.

Fácil de cultivar, a batata foi tomando conta da mesa e dos campos no Velho Continente, sendo já uma importante fonte de subsistência no século XIX, quando a praga do míldio atacou os batatais  devastando culturas inteiras com terríveis consequências na Irlanda, onde a base da alimentação dependia muito deste vegetal. A Grande Fome, como ficou conhecida, começou em 1845 e  prolongou-se durante cerca de seis anos, fazendo um milhão de mortos e obrigando outros dois milhões de irlandeses a emigrarem para os Estados Unidos da América.

Embora encha barrigas, a batata, agora tantas vezes associada à gordura, é um alimento que não pode ser dispensado numa alimentação equilibrada. Rica em hidratos de carbono, contém nutrientes como o potássio, cálcio, ferro, vitaminas e fibras, que reforçam a importância do seu consumo e da sua produção no mundo inteiro. A FAO, a Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas viu no tubérculo uma solução para enfrentar a má nutrição e a pobreza, e decretou 2008 como o Ano Internacional da Batata.

Versáteis na culinária, são o acompanhamento fiel de grandes pratos tradicionais, ou então servem-se sozinhas em receitas aperfeiçoadas por dezenas de variedades com apelidos tão originais como Monalisa, Desirée, Amorosa, Bertina ou Picasso. Uma pequena amostra do que existe no centro internacional do Perú, onde atualmente se conservam mais de 4300 espécies autóctones. Não é de estranhar que aqui se concentrem tantas batatas diferentes; afinal foi nesta terra, junto ao lago Titiaca, que esta história começou a ser cultivada pelos incas em 900 a.C..

Ficha Técnica

  • Título: Câmara Clara - A Tourada
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP2
  • Ano: 2008

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui