Pesquisar

Diogo Freitas do Amaral, fundador do CDS

Episódio dedicado ao fundador do Centro Democrático Social e ao papel desempenhado por este partido entre a sua fundação após o 25 de abril e as eleições para a Assembleia da República de 1976.

Diogo Freitas do Amaral dedicou-se ao trabalho académico até ao 25 de Abril, substituindo Marcelo Caetano – de quem, aliás, fora aluno – como regente da cadeira de Direito Administrativo na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Em 1973 foi convidado para ministro da justiça, convite que recusou, por não se rever na missão política que teria de cumprir em tal cargo.

Em Julho de 1974 fundou, com Adelino Amaro da Costa, Xavier Pintado e Basílio Horta, o Centro Democrático Social (CDS), que procurava corporizar politicamente as ideias da direita moderada, tornando-se o seu primeiro presidente. Nas eleições para a Assembleia Constituinte, realizadas no ano seguinte, o CDS alcança 434 mil votos, correspondentes a 7% do eleitorado. Mas 1975 não seria fácil para este novo partido: conotado com os setores mais conservadores da sociedade portuguesa, foi atacado pela esquerda mais radical, que lhe atacou a sede no Porto e causou distúrbios no primeiro congresso, que acabou por ser suspenso. Em 1976,  o CDS seria a única força política a votar contra a Constituição da República Portuguesa.

“Dicionário de Abril” é uma série de pequenos programas dedicados ao 25 de abril de 1974 e ao período de instauração do regime democrático em Portugal, produzidos a partir de imagens de arquivo.

 

Ficha Técnica

  • Título: Dicionário de Abril - Letra D
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: António Reis/ Maria Inácia Rezola/ Paula Borges
  • Produção: Braveant/ RTP
  • Ano: 2012

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui