Pesquisar

Fim do boicote aos autocarros de Montgomery

Foi a 20 de dezembro de 1956 que os autocarros da cidade de Montgomery, no estado norte-americano do Alabama, deixaram de estar legalmente sujeitos ao regime de segregação racial em vigor até então. Uma vitória do Movimento pelos Direitos Cívicos, liderado por Martin Luther King.

Esta medida foi executada como consequência de uma decisão de um painel de juízes daquele estado, tomada a 5 de junho de 1956, segundo a qual a segregação racial nos autocarros era contrária à 14ª Emenda da Constituição americana, que garante a igualdade de proteção a todas as pessoas. Após contestação por parte das autoridades de Montgomery, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos confirmou a decisão, a 13 de novembro, forçando o presidente da Câmara da cidade, William Gayle, a executá-la.

Com o fim da segregação racial nos autocarros da cidade, terminou naturalmente a campanha de boicote à sua utilização que esteve em vigor durante cerca de um ano, levada a cabo pelo Movimento pelos Direitos Cívicos nos Estados Unidos da América.

 

  • O que desencadeou esse boicote?

O boicote aos autocarros de Montgomery foi uma campanha de protesto desencadeada pelo Movimento pelos Direitos Cívicos que lutava pelo fim da segregação racial nos EUA, na década de 1950, sob a liderança de Martin Luther King. O episódio que deu origem a esta campanha ficou célebre: a 1 de dezembro de 1955, Rosa Parks, uma mulher negra norte-americana, foi presa por se ter recusado a levantar-se para ceder o seu lugar no autocarro a um branco, conforme estipulava o regulamento em vigor. Não era a primeira vez que tal sucedia em Montgomery. Entre outros casos, destaca-se o de Claudette Colvin, uma jovem de 15 anos que foi igualmente presa sob o mesmo pretexto, alguns meses antes. Desta vez, porém, o caso levantou uma onda de protestos e motivou um boicote generalizado ao uso dos autocarros por parte da comunidade afroamericana, que só terminou quando o regime de segregação racial deixou de vigorar, a 20 de dezembro de 1956.

 

  • Que impacto teve?

O sucesso do boicote foi um passo importante na fase inicial do movimento pelos Direitos Cívicos. Apesar dos princípios de igualdade consagrados na Constituição dos Estados Unidos, a falta de regulamentação e a autonomia de cada estado permitiam que em vários estados, sobretudo no Sul, vigorassem leis e regulamentos locais que discriminavam a população afroamericana, as chamadas “leis de Jim Crow”. Estas normas assumiam geralmente a forma de proibição de contactos entre brancos e negros, em flagrante desfavor e discriminação para com a população afroamericana. No início dos anos 50 emergiu um movimento de protesto e de desobediência, não violento, que exigia o fim da segregação racial e reclamava igualdade total de direitos.

O boicote de Montgomery foi uma vitória importante para o movimento, mas apenas um passo inicial num percurso longo e difícil que só terminaria na década seguinte, com a aprovação de diversas leis federais que garantiam a igualdade de direitos e o fim da discriminação e segregação racial nos EUA.

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Fim do boicote aos autocarros de Montgomery
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • montgomery bus boycott and the women who started it: Christo Drumnkopf

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui