Pesquisar

Histórias de comboio

Ao longo de quase dois séculos o comboio foi muito mais do que um meio de transporte viajando entre livros, músicas, quadros, filmes e utopias.

Foi a revolução industrial que colocou o comboio nos carris. A máquina a vapor e a necessidade de transportar cada vez mais carga e pessoas levaram a criação do primeiro comboio em 1825. A Portugal o comboio chegaria trinta anos depois com a ligação entre Lisboa e o Carregado.

O comboio é também um elemento importante da cultura do mundo industrial surgindo mesmo como peça central no manifesto futurista publicado em 1909. A locomotiva é o símbolo do caminho para o futuro.

Na literatura podemos encontrar o comboio nas páginas de Georges Simenon, Aghata Christie ou Eça de Queiroz, entre outros.

Na música de Zeca Afonso, Glenn Miller, Duke Ellington ou Bob Dylan também se ouvem os ritmos do comboio.

O comboio também é peça central em muitos filmes, tanto que um dos primeiros filmes exibidos pelos irmãos Lumière mostrava a chegada de um deles a uma estação.

São provas que o comboio consegue viajar muito para além dos seus carris…

Ficha Técnica

  • Título: Comboios na arte e na cultura
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Luís Caetano
  • Produção: RTP
  • Ano: 2011

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui