Pesquisar

Jaime Cortesão, capitão-médico voluntário

Jaime Cortesão (1884-1960) foi um republicano convicto, que enquanto deputado defendeu sempre e entrada de Portugal na I guerra Mundial. Quando aconteceu a Declaração de Guerra ofereceu-se como voluntário tendo sido gaseado na frente de combate.

Formou-se em medicina desde 1909 foi-lhe atribuída uma comissão de capitão no corpo médico do CEP. Em princípios de 1918 foi gaseado enquanto prestava assistência a soldados feridos.

Mais tarde opôs-se ao Estado Novo e, no princípio dos anos 30, exilou-se em Espanha onde apoiou a jovem república até o General Franco tomar o poder após uma longa guerra civil. Cortesão escapa para França, mas é obrigado a regressar a Portugal em 1940 após a invasão alemã.

Com outros republicanos portugueses é preso mal chega ao país. Libertado em 1941 retira-se para o Brasil onde vai viver até 1957, quando volta a Portugal morrendo em 1960.

Nesta gravação, realizada em 1958, Jaime Cortesão recorda o facto de se ter oferecido como voluntário para o CEP e também o de ter sido gaseado.

Ficha Técnica

  • Título: Jaime Cortesão, capitão-médico voluntário
  • Autoria: Carlos Guerreiro/ Sandy Gageiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2015

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui