Pesquisar

Nos descobrimentos os navios não eram a única indústria

Com a expansão do império não foi apenas a construção naval que cresceu e se transformou numa indústria. Diversas outras atividades adquiriram essas características.

A moagem é uma das mais importantes atividades económicas durante o período da expansão, assistindo-se à construção de diversos moinhos que utilizam tanto a energia do vento e da água como propulsores.

A farinha produzida por estas unidades – que pertenciam normalmente ao rei, a nobres ou ao clero – era utilizada para produzir biscoito, um tipo de pão, cozido repetidas vezes, que abastecia as armadas que partiam para Índia, potenciando também a construção de fornos.

Este e outros alimentos eram transportados em toneis de madeira, produzidos por uma classe de artesãos que conheceu uma importante ascensão económica e social durante a expansão.

Não menos importância teve o setor metalúrgico essencial para a construção de peças para os navios e armas. Os principais armeiros do país chegaram da Alemanha, a pedido da coroa, e das suas oficinas saíram armaduras, espadas, espingardas e canhões às centenas.

Ficha Técnica

  • Título: História da Indústria em Portugal - Expansão, Império e Manufaturas
  • Tipo: Reportagem
  • Produção: RTP/ AEP
  • Ano: 2000

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.