Pesquisar

O atentado contra Lincoln

A 14 de abril de 1865, dia de sexta feira Santa, o presidente dos Estados Unidos da América, Abraham Lincoln, dirigiu-se ao Teatro Ford para assistir a uma peça, acompanhado da mulher, Mary Todd Lincoln, do major Henry Rathbone e da sua noiva Clara Harris. Durante a apresentação foi assassinado.

O casal Lincoln tinha chegado atrasado ao teatro, o que obrigou à interrupção da peça. O camarote presidencial estava sob vigilância, mas o guarda-costas do presidente ausentou-se no intervalo da peça. Aproveitando o momento, John Wilkes Booth entrou no camarote e atingiu o presidente com um tiro na nuca, conseguindo fugir na confusão que se seguiu.

Esteve em fuga durante doze dias, até ser localizado numa quinta a mais de 100 km de Washington e morto no tiroteio que teve lugar. Quanto ao presidente Lincoln, foi de imediato levado para uma casa do outro lado da rua, mas os médicos nada puderam fazer perante a gravidade do ferimento.

A sua morte foi declarada às 7:22 da madrugada seguinte.

 

  • Quem era John Booth?

John Wilkes Booth era um ator, originário do estado do Maryland, um simpatizante da causa da Confederação, ou seja, do conjunto de estados do Sul que se tinham separado e que estavam em guerra com a União dos Estados Unido, e um opositor da abolição da escravatura.

Booth e um grupo de conspiradores começaram por planear o rapto do presidente, mas posteriormente acabaram por decidir-se pelo assassinato, não apenas do presidente Lincoln mas também do vice-presidente e do secretário de estado.

Tratou-se de uma tentativa desesperada para tentar inverter o rumo da guerra civil, que por esta altura estava já perdida para a causa do Sul. O momento e o local foram escolhidos devido às informações de que Lincoln se faria acompanhar, na deslocação ao teatro, pelo general Ulysses Grant, o comandante do exército da União, mas que acabou por não aceitar o convite do presidente.

 

  • Teve algum efeito?

O assassinato de Lincoln não teve qualquer consequência no desfecho da guerra, que estava já perdida para a Confederação. O seu principal estratega, o general Robert Lee, tinha-se rendido ao general Grant cinco dias antes, no rescaldo de várias derrotas militares.

A guerra estava, portanto, terminada, após quatro anos de guerra civil e de intenso confronto entre a União e a Confederação. Os conspiradores recusavam-se, contudo, a aceitar a derrota, porque alguns generais sulistas ainda não se tinham rendido e pensaram que a morte da cúpula do poder podia constituir um volte-face para a guerra.

O plano fracassou, porque os restantes conspiradores falharam e acabaram por ser presos e condenados à morte. A guerra chegou rapidamente ao fim com a derrota da Confederação e Lincoln foi elevado à categoria de herói nacional, da causa da liberdade e da abolição da escravatura.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Atentado contra Lincoln
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Imagem: Reconstituição do assassinato do presidente norte-americano Lincoln, Currier & Ives

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui