Pesquisar

O balneário do Castro das Eiras

Foi identificado por Martins Sarmento em 1880, mas escavado por arqueólogos apenas em 1990. O balneário castrejo do Castro das Eiras, em Vila Nova de Famalicão, revelou ser uma estrutura destinada a banhos públicos.

O edifício contava com um átrio, uma ante-câmara, uma câmara e uma fornalha, todos com elementos decorativos idênticos ao de monumentos similares noutros pontos da Península Ibérica destinados a banhos públicos.

Em 2007, durante uma exposição temporária do Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, foi construída uma réplica em tamanho natural daquela estrutura, na qual também se recuperou o esplendor da decoração das cantarias que havia surpreendido os arqueólogos.

Este balneário deverá ter sido construído nos séculos um ou dois da nossa era, nos primórdios da ocupação romana da península ibérica.

 

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Vasos gregos e banhos sagrados
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: José Hermano Saraiva
  • Produção: RTP/ Videofono
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.