Pesquisar

O Congresso de Viena

Ficou conhecido como “Congresso de Viena” a cimeira de embaixadores de diversos países da Europa que teve a sua sessão de abertura a 1 de novembro de 1814 e decorreu na capital da Áustria até junho do ano seguinte.

O seu principal objetivo era o de definir um novo equilíbrio político europeu, após a rendição de Napoleão e o fim de um longo período de guerras e de tensão na Europa que se seguiu à Revolução Francesa.

Os principais atores do Congresso eram, naturalmente, as grandes potências vencedoras que formavam a chamada Sexta Coligação, ou seja, a Grã-Bretanha, a Áustria, a Prússia e a Rússia, mas praticamente todos os estados europeus enviaram uma delegação a Viena para acompanhar o processo. A representação portuguesa foi chefiada por Pedro de Sousa Holstein, futuro duque de Palmela. Os trabalhos decorreram ao nível formal, com reuniões e receções oficiais entre diplomatas, mas também a um nível informal, nos corredores, nos salões de dança e nos banquetes.

 

  • Que decisões saíram do Congresso?

O Congresso de Viena destinou-se, essencialmente, a reverter as alterações causadas pelo governo de Napoleão, com a restauração de diversas monarquias e o regresso ao poder de várias casas reais. Houve acertos de fronteiras e de territórios, desde a Europa Central à Itália, Prússia e Polónia.

A França perdeu os territórios conquistados por Napoleão e a Grã-Bretanha conseguiu garantir a hegemonia nos territórios ultramarinos, nomeadamente nas Caraíbas e na Ásia. É interessante verificar que a França esteve presente na cimeira e, apesar de inicialmente ter sido excluída das negociações, conseguiu manobrar nos corredores de forma a ter uma voz ativa e presente nas decisões mais importantes.

O texto final, a Ata do Congresso, foi assinado a 9 de junho de 1815. É de assinalar o facto de os trabalhos terem decorrido ao mesmo tempo que Napoleão regressava do exílio em Elba e enfrentava novamente a Europa. A célebre batalha de Waterloo, que selou definitivamente a sua derrota, teve lugar 9 dias depois do encerramento do Congresso.

 

  • Que impacto teve este encontro?

O Congresso de Viena traçou as linhas do tabuleiro político da Europa da primeira metade do século XIX.

Teve o grande mérito de conseguir obter a paz mediante o acordo entre as diversas potências, incluindo o país vencido, no que constituiu um assinalável sucesso da diplomacia. No entanto, as expectativas da cimeira eram limitadas e não correspondiam a uma resposta para os novos desafios do século XIX.

Uma vez que envolveu a vitória das monarquias europeias sobre a França revolucionária, correspondeu, portanto, a um reforço dos modelos políticos tradicionais, ou seja, das monarquias absolutistas, rejeitando os princípios do liberalismo emergente e preconizando o regresso à velha ordem social e política do século XVIII. Desse modo, não resolveu a questão dos nacionalismos europeus, que vieram a despontar por toda a Europa pouco depois e que viriam a marcar e a definir toda a história europeia do século XIX.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - O Congresso de Viena
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Imagem: Congresso de Viena. Gravura baseada num quadro de Jean-Baptiste Isabey.

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui