Pesquisar

Oriente, evangelização e o ouro do Brasil (2ª parte)

No Brasil a evangelização das populações foi um instrumento para o alargamento das fronteiras. As capelas, ermidas e igrejas transformam-se em polos de atração e à sua volta crescem novos lugares e até cidades.

A expansão da palavra de Jesus levada através dos missionários é também, no imenso Brasil, a garantia de expansão da colónia. Em redor das missões fixam-se populações nativas e, em alguns casos, fundam-se msmo cidades como foi o caso de São Paulo.

Trata-se também de uma forma de afirmação do Império, numa altura em fronteiras não estão definidas e a conflitualidade com as colónias sob jurisdição castelhana é recorrente.

A descoberta do ouro em território dos índios Caraguás, hoje conhecido como o estado de Minas Gerais, vem dar uma nova importância à colónia e, até certo ponto, salvar o Império de uma penúria que se anunciava. Por outro lado, esta nova riqueza veio também acordar os primeiros sentimentos de independência.

Esta série foi produzida em 1983 na sequência da XVII Exposição Europeia de Arte Ciência e Cultura, uma iniciativa que teve lugar em Lisboa com o objetivo de divulgar a história da expansão portuguesa durante os séculos XV e XVI.

A série é constituída por quatro episódios, divididos em duas partes cada um.

Pode ver aqui a primeira parte deste episódio.

Ficha Técnica

  • Título: Descobrimentos portugueses: O extremo oriente, a evangelização e o ouro do Brasil (parte 2)
  • Tipo: documentário
  • Produção: RTP/ Comissariado XVII Exposição Arte, Ciência e Cultura
  • Ano: 1983

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.