Pesquisar

"O grande desafio do século XXI é descobrir o que é a consciência"

Ernesto Costa investiga computação de inspiração biológica. Descobriu que o ser humano é imperfeito e é isso que diz aos mais novos em ciência: não tenham medo de errar. Diz que o binómio de Newton é tão belo como a Vénus de Milo e ser canhoto é ser ele.

Diz-se canhoto “até na vida”, recordando ainda o nome do professor primário que o forçou a contrariar a natureza e a escrever com a mão direita. Mas era canhoto, mesmo, e é na ciência, hoje, que ainda procura aquilo que o ajude a poder ser o que é sem que a natureza seja forçada.

Atraído por Matemática e Filosofia, acaba por tirar um curso tecnológico e é no departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra que lecciona, mas aprendeu em Paris a investigar quando fazia o doutoramento. Debruçar-se sobre inteligência artificial dá-lhe a oportunidade de reflectir, com resultados práticos, nessa ampla questão: como é que nós funcionamos? A partir das respostas, chega-se aos programas de computador.

Tanto pode ser identificar mecanismos e processos que existem na natureza para optimização de percursos, usando a observação do modo como as formigas resolvem o processo, seja em química ou até em efeitos especiais em cinema, as perguntas a que vai respondendo cientificamente Ernesto Costa são também aquelas que o definem, de que anda “permanentemente à procura”, diz. Também diz que nem sempre fica satisfeito quando encontra as respostas.

Este investigador de engenharia de software representa a ciência como uma matrioska tripla de Física, Biologia e Psicologia e acha que até poderia ser a descoberta da história humana sabermos todos afinal o que é a consciência.

Ficha Técnica

  • Título: 5 Minutos Com Um Cientista
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra - RTP
  • Produção: Panavídeo
  • Ano: 2013

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.