Pesquisar

Obélix ajudou a descobrir o menir do Patalou em Nisa

Foi ao ler as histórias de Astérix e Obélix que João Lopes percebeu que a curiosa pedra, pela qual passara dezenas de vezes, podia ser um menir. Confirmou a suspeita e a pedra foi estudada e reerguida perto do local onde foi encontrada.

O menir com cerca de quatro metros de comprimento e sete toneladas de peso encontrava-se perto de Nisa e terá sido talhado no quinto milénio antes de Cristo. O monumento encontrava-se caído e a área que esteve em contacto com a terra apresentava gravações com formas onduladas, levando os arqueólogos a acreditar que essas marcas eram ainda mais antigas. Por seu lado, a face que esteve exposta apresenta um conjunto de covinhas escavadas, resultado de ações posteriores.

O Menir do Patalou, como é conhecido, foi estudado e reabilitado por uma equipa de arqueólogos da Universidade de Évora que acredita que este monumento foi talhado, transportado e erigido pelas primeiras comunidades neolíticas da península, no contexto de cultos à fertilidade. Em 2015 voltou a ser erguido a alguns metros do local onde foi encontrado.

Nesta reportagem pode acompanhar declarações de Jorge Oliveira, Arqueólogo; João Francisco Lopes, habitante de Nisa que descobriu o menir e Francisco Sena Cardoso, Vereador da Câmara Municipal de Nisa.

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Arqueologia da pré-história em Nisa
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Daniela Alves
  • Produção: RTP
  • Ano: 2015

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.