Pesquisar

Primeira sessão da Sociedade das Nações

Foi a 16 de janeiro de 1920 que reuniu pela primeira vez o conselho da Sociedade das Nações, em Paris, assinalando formalmente a entrada em funcionamento da instituição. A Sociedade das Nações nasceu seis dias antes, a 10 de janeiro, data em que entrou em vigor o Tratado de Versailles, que terminou oficialmente a I Guerra Mundial.

Foi a primeira organização internacional criada especificamente para manter a paz, onde as várias nações poderiam resolver os seus conflitos de forma partilhada e sem recurso à guerra. A Sociedade das Nações possuía três órgãos principais: a Assembleia, onde os diversos países estavam representados, o Conselho, que era uma espécie de comissão executiva que deveria implementar as decisões tomadas e que era formado por um número restrito de países membros, e ainda o Secretariado. Possuía também várias agências e comissões auxiliares. Teve inicialmente a sua sede em Londres, mas a partir de 1 de novembro de 1920 passou a ter o seu quartel-general no Palácio Wilson, em Genebra.

 

  • Quais foram os motivos que levaram à sua criação?

A criação da Sociedade das Nações foi uma consequência direta da I Guerra Mundial e dos seus terríveis efeitos. As suas origens, porém, remontam ao século XIX, quando surgiram as primeiras propostas de criação de um organismo internacional que evitasse as guerras em que as potências europeias estavam permanentemente envolvidas. O desenvolvimento do direito internacional e o aumento das preocupações humanitárias e pacifistas foram fatores importantes que estimularam a ideia de um órgão que promovesse a paz mundial. No final da Grande Guerra, existia na opinião pública mundial um forte sentimento pacifista que considerava que um conflito com aquela dimensão não deveria repetir-se. Por outro lado, as potências vencedoras tinham que lidar com o problema do desmembramento dos impérios vencidos. A Sociedade das Nações foi, portanto, uma solução bem-vinda por todos para resolver de forma pacífica os problemas existentes e evitar os futuros. Como se dizia na altura, a I Guerra tinha sido uma “guerra para acabar com todas as guerras”.

 

  • E qual foi o seu sucesso?

A Sociedade das Nações foi um avanço notável da diplomacia internacional, não apenas por constituir um fórum que garantia a representação das diversas nações, mas também por ter sido uma tentativa genuína de promover e garantir a paz mundial. Ao longo da década de 1920, vários conflitos territoriais e tensões entre diversos países foram abordados e discutidos no seio da organização. No entanto, a Sociedade das Nações possuía várias fraquezas e contradições. Era vista como uma organização dos vencedores da I Guerra e não possuía instrumentos legais ou forças militares para impor a paz. Um dos sinais da sua ineficácia foi o facto de os EUA nunca terem aderido à Sociedade, apesar do empenho do presidente Wilson. Com a crise económica dos anos 30 e o surgimento de regimes autoritários por toda a Europa e também no Japão, o seu papel tornou-se meramente simbólico. Em 1946 foi substituída pela ONU, que procurou corrigir as principais insuficiências e evitar os erros cometidos pela Sociedade das Nações.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Primeira sessão da Sociedade das Nações
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2018
  • Presidente Wilson. "Aqui está ramo de oliveira. Agora faz qualquer coisa"/ : Punch magazine

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui