Pesquisar

"Rimas", de Bocage

"Rimas" de Manuel Maria de Barbosa du Bocage é a obra que espelha o génio e a vida do autor. Publicada em três volumes, é um prenúncio da poesia pré romântica com uma escrita transgressora, emotiva, em busca da liberdade, como viveu o próprio Bocage.

As “Rimas” foram redigidas durante 13 anos. O primeiro Tomo foi publicado em 1791 mas, revelando ainda alguma imaturidade de Bocage foi revisto e teve nova edição em 1794. O segundo volume foi publicado em 1799 e o terceiro e último em 1804.

Escrita num século abalado nas suas fundações, quer reais (Lisboa fora soterrada pelo terramoto de 1755), quer intelectuais (decorria o “Século das Luzes” em que o homem acreditou que emergia da ignorância, para uma era iluminada pela luz da razão), esta obra dá voz aos ideais que começavam a moldar o novo mundo da Revolução Francesa de 1789.

Com a sua poesia de intervenção social, Bocage provocava as autoridades dominantes, sobretudo a religiosa, clamando pela liberdade. Nas “Rimas”, Bocage deixa transparecer uma escrita de emotividade e uma formação clássica mas que se liberta deixando antever o estilo romântico que dominará Portugal no século XIX.

A sua rebeldia, quer de hábitos quer de escrita, granjeiam a Bocage a ira dos seus pares e também de Pina Manique o Intendente da policia repressor das ideias contrárias ao sistema político, que o manda prender. A prisão, as contrariedades mas sobretudo a boémia e as tertúlias intelectuais amadureceram o poeta e a sua obra.

Bocage nasceu em Setúbal em 15 de Setembro de 1765.  A mãe, Mariana du Bocage morreu quando ele tinha 8 anos e o pai José Luís de Barbosa foi preso pouco depois. Deduz-se que tenha estudado os clássicos gregos e romanos, bem como as línguas francesa e o Latim.

Ingressou no exército e depois na marinha, partindo para o Oriente, mas acabou por desertar da vida militar.

De regresso a Lisboa, a mulher que amava tinha casado com o seu irmão. Inicia então uma vida desregrada de boémia entre cafés, salões e tertúlias intelectuais. Em 1790 aderiu à Nova Arcádia, academia de oratória e poesia que pretendeu recuperar a tradição greco-latina, mas passado pouco tempo já escrevia sátiras contra os outros membros que de uma forma geral se desentenderam, levando ao fim da academia.

Bocage foi preso no Limoeiro, por ordem de Pina Manique em 1797, passou pelo calabouço da inquisição, acabando o seu período de reclusão em 1798 no Hospício das Necessidades.

Morreu em 21 de Dezembro de 1805, pouco depois de ser publicado o 3.º Tomo das “Rimas”.

 

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Livros - "Rimas" de Manuel Maria de Barbosa du Bocage
  • Tipo: Documentário
  • Produção: Companhia de Ideias
  • Ano: 2010

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.