Pesquisar

Rolão Preto, o líder dos "camisas-azuis"

Lutou contra a República ao lado de Paiva Couceiro, foi um dos fundadores do Integralismo lusitano e chefe carismático do Movimento Nacional Sindicalista. Rolão Preto era um revolucionário da direita radical que odiava Salazar. Em 74 defendia a democracia.

A vida de Francisco Rolão Preto (1896-1977) conta-nos a história de um homem de fortes convicções que sempre se opôs a Salazar e ambicionava para Portugal uma outra política que não a ditadura militar instituída a partir de 1926.

Inspirado no fascismo italiano, quando este se transformou numa força política, Rolão Preto criou o Movimento Nacional-Sindicalista, anunciado como antidemocrático, anticomunista, antiburguês, antiparlamentar, nacionalista, corporativista e familiar.  Era o partido da extrema-direita, dos portugueses que vestiam camisas-azuis, faziam a saudação romana e que tentariam por diversas vezes derrubar o regime. O grupo foi perseguido, alguns membros aderiram à União Nacional, o partido de Salazar, e o líder acabou preso e forçado ao exílio em Espanha.

Em 1934 o Nacional Sindicalismo era proibido por decreto, mas no ano seguinte os nacionais-sindicalistas tentaram mais uma vez derrubar o regime. O golpe falhou e o movimento dos camisas-azuis, como ficou conhecido, extinguiu-se.

Até ao 25 de Abril, Rolão Preto, homem da direita radical, haveria de continuar sempre na oposição a apoiar os dissidentes do Estado Novo: o General Norton de Matos, Quintão Meireles e Humberto Delgado. Com a Revolução, rendeu-se aos princípios democráticos e tornou-se dirigente do Partido Popular Monárquico, um reencontro com os tempos da sua juventude em que foi um defensor ativo da Monarquia e um dos fundadores do Integralismo Lusitano, que estaria mais tarde na base do Nacional-Sindicalismo. O fechar de um ciclo.

As suas principais obras foram reeditadas por José Melo Alexandrino, professor universitário que quis assim recuperar o pensamento de uma figura nacional que marcou o século XX português e que, a título póstumo, foi condecorado com a Ordem do Infante D. Henrique.

Ficha Técnica

  • Título: Literatura Aqui
  • Tipo: Extrato de Programa - Reportagem
  • Produção: até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2015

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui