Pesquisar

"Sabedoria", de José Régio

Escritor do modernismo português, a obra poética de José Régio assume um tom místico e confessional nas reflexões que faz sobre temas universais. Do seu primeiro livro " Poemas de Deus e do Diabo", de 1925, ouvimos a atriz Joana Carvalho dizer "Sabedoria".

Sabedoria

Desde que tudo me cansa,
Comecei eu a viver.
Comecei a viver sem esperança…
E venha a morte quando
Deus quiser.

Dantes, ou muito ou pouco,
Sempre esperara:
Às vezes, tanto, que o meu sonho louco
Voava das estrelas à mais rara:
Outras, tão pouco,
Que ninguém mais com tal se conformara.

Hoje, é que nada espero.
Para quê, esperar?
Sei que já nada é meu senão se o não tiver;
Se quero, é só enquanto apenas quero;
Só de longe, e secreto, é que inda posso amar…
E venha a morte quando Deus quiser.

Mas, com isto, que têm as estrelas?
Continuam, brilhando, altas e belas.

José Régio in Poemas de Deus e do Diabo

 

 

 

Ficha Técnica

  • Título: Um Poema Por Semana
  • Tipo: Programa de Poesia
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2011

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui