Pesquisar

Padre António Vieira começa a pregar aos peixes

Missionário português em terras brasileiras, destacou-se pela capacidade oratória, e foi um forte crítico da forma como eram tratados os indígenas. O "Sermão de Santo António aos Peixes" é o mais conhecido de um conjunto de duzentos sermões documentados.

Em 1608, junto à Sé de Lisboa, nasce o primeiro filho de Cristóvão Vieira Ravasco e Maria de Azevedo. Baptizado com o nome do santo casamenteiro, António faz a sua primeira grande viagem aos seis anos, quando é levado para o Brasil. Aí, na capital que era a Baía, começa a aprender as primeiras letras na nova escola dos jesuítas. O rapaz noviço vai revelar grande inteligência e um especial talento para a oratória. Aos 18 anos é incumbido de escrever a “Carta Annua de 1625-26”. Estava no início da sua vasta produção literária que se fixará em 15 volumes de sermões e muitos outros de cartas.

Um dos mais famosos sermões, o de Santo António aos Peixes, é resumido neste excerto da série “Grandes Livros”, de 2005, com comentários do padre jesuíta António Vaz Pinto, de Manuel Cândido Pimentel, Presidente da Comissão Organizadora do Ano Vieirino, dos historiadores Pedro Cardim e Luís Silvério Lima e do jornalista Duda Guennes.

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Livros - O Sermão de Santo António aos Peixes
  • Tipo: Extrato de documentário
  • Produção: Companhia de Ideias
  • Ano: 2009

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.