Pesquisar

Tempos de guerra e de conspirações

Para além da preocupação com a guerra o país viveu também períodos conturbados, marcados por conspirações lideradas por anarquistas, sindicalistas, monárquicos, católicos, guerristas e anti-guerristas. Uma verdadeira confusão a que os serviços de informação do exército estavam atentos.

Os serviços de  informação do período republicano não tinham mãos a medir elaborando longos e detalhados relatórios com todo o tipo de vigilâncias e informações que tinham por objetivo evitar que as acções dos diversos grupos anti-regime tivessem sucesso. Mas também entre os republicanos havia tensões que obrigavam a um acompanhamento muito cuidado.

Desde a implantação da República que se assistiram a tentativas de golpe por parte dos monárquicos, mas com a guerra surgiram também novas revoltas. Assim, se em 1914 foram os monárquicos e anti-guerristas a criar problemas em 1915 assistiu-se a um protesto liderado por um largo número de oficiais do exército.

A relação entre os políticos civis e os militares foi complicada, situação que se agravou com a guerra e abriu caminho ao golpe de 1926. Nos últimos meses de 1916, os ânimos atingem um ponto de exaltação conflituosa.

Em Portugal o povo sente a falta de pão, de carvão e de outros bens… Tudo se conjuga para o surgimento de novas conjuras…

Ficha Técnica

  • Título: Postal da Grande Guerra - Conspira-se
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Sílvia Alves
  • Produção: RTP
  • Ano: 2016

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui