Pesquisar

A batalha das Linhas de Elvas

Durante cerca de um mês as forças castelhanas cercaram Elvas na esperança de a tomar, mas um exército de socorro surpreendeu-os e, depois de diversos recontros, foram obrigadas a retirar.

O cerco a Elvas pelos castelhanos aconteceu em fins de Outubro de 1658, logo após a retirada do exército português de Badajoz, cidade espanhola que tinham tentado capturar, sem sucesso, nos meses anteriores.

Logo nessa altura começou a ser delineado um exército de socorro em Estremoz, que se colocou em marca no princípio do ano seguinte. A 14 de Janeiro aconteceu a batalha que opôs cerca de catorze mil e quinhentos espanhóis a 11 mil portugueses vindos de Estremoz.

Dentro da cidade muralhada resistiam ainda cerca de 6 mil portugueses. Outros cinco mil tinham perecido durante o cerco, especialmente devido à peste que se instalara na praça.

Os portugueses conseguiram desalojar os infantes espanhóis de vários pontos fortificados que estes tinham construído ou ocupado em redor da cidade.

Entre as nove da manhã e a noite os invasores perderam milhares de homens e muito equipamento, em se incluíam cerca de duas dezenas de canhões.

Na batalha os portugueses viram morrer cerca de 200 homens e 600 ficaram feridos. Entre estes destaca-se o general André de Albuquerque Ribafria, um militar que tinha começado como soldado, experimentado e adorado pelas tropas.

Os castelhanos tiveram perdas muito superiores, registando cerca de 2500 mortos e quatro mil feridos.

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Portugal Restaurado
  • Tipo: Excerto de documentário
  • Autoria: José Hermano Saraiva
  • Produção: Videofono para a RTP
  • Ano: 2006

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.