Pesquisar

A chegada de Roald Amundsen ao pólo sul

Pelas 15 horas do dia 14 de Dezembro de 1911, uma expedição norueguesa composta por 5 homens e liderada por Roald Amundsen atingiu o pólo sul, após ter percorrido mais de 1200 km através da Antártida.

Foi o culminar de uma longa viagem, iniciada a 19 de outubro de 1911 a partir da base construída na costa, alguns meses antes. O grupo viajava com trenós puxados por cães, percorrendo entre 20 a 30 km por dia. A etapa mais difícil foi a subida até ao planalto antártico, a 3200 metros de altitude, através de um caminho sinuoso pelo meio de montanhas, que nunca tinha sido percorrido antes.

A 25 de novembro, e após uma paragem de 4 dias, a expedição deu início à etapa final da marcha, apenas com três trenós e menos de metade dos cães. O polo sul foi alcançado a 14 de dezembro.

Deixaram uma bandeira da Noruega e armaram uma tenda, onde depositaram algumas cartas e objetos destinados à expedição rival inglesa que se encontrava a caminho. No dia 18 iniciaram o caminho de regresso.

 

  • Como foi preparada a expedição?

Roald Amundsen era um explorador norueguês que tinha anteriormente participado numa outra expedição ao continente antártico e havia sido o primeiro a percorrer integralmente a Passagem de Noroeste, ou seja, a ligação entre o Atlântico e o Pacífico pelo norte do Canadá.

Começou então a preparar apoios e fundos para uma expedição ao pólo norte, mas quando soube, em 1909, que esse objetivo tinha sido alcançado por expedições americanas, alterou o seu alvo para o polo sul.

O navio largou de Oslo em junho de 1910, fez escala no Funchal e prosseguiu para sul. Em janeiro de 1911 ancorou na chamada Baía das Baleias, na costa da Antártida, e iniciou o longo processo de preparação da viagem.

Primeiro, construiu uma base em terra, onde armazenou toneladas de alimentos, reservas e material. Depois, durante as semanas seguintes, fez várias viagens ao longo da rota para o polo, com o objetivo de depositar mantimentos, em diversos pontos, que seriam úteis como apoio à jornada final. Por fim, aguardou a passagem do inverno austral. Em meados de outubro, e após uma falsa partida, teve finalmente início a viagem decisiva.

 

  • Houve outras tentativas para chegar ao polo sul?

A expedição de Roald Amundsen foi realizada num ambiente de competição entre vários exploradores, numa espécie de corrida ao pólo. Dois anos antes, o britânico Ernest Shackelton tinha atingido o paralelo 88, ou seja, ficou a apenas 180 km do polo, e o seu compatriota Ronald Scott tinha em marcha uma expedição com esse fim.

Amundsen estava, portanto, pressionado para avançar rapidamente. Os dois grupos rivais chegaram, aliás, a cruzar-se na costa do continente antártico. Os noruegueses, mais bem preparados e equipados, adiantaram-se e atingiram o polo com mais de um mês de avanço sobre os britânicos.

A expedição de Scott viria, aliás a ter um desfecho trágico, uma vez que todos os seus elementos morreram na viagem de regresso. Roald Amundsen só pôde comunicar ao mundo o seu feito ao chegar à Tasmânia, em março de 1912, onde enviou telegramas para Oslo e para Londres. Hoje, a chegada ao polo sul é celebrada como um feito conjunto dos dois rivais, com cujo nome foi batizada a estação científica norte-americana que ali existe desde 1956.

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Chegada de Roald Amundsen ao Polo Sul
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 1987
  • Fotografia: Roald Amundsen

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui