Pesquisar

A coroação de Napoleão Bonaparte

Napoleão Bonaparte não tinha sangue real e queria, de alguma forma, conciliar o prestígio de uma coroação real com o espírito republicano saído da Revolução Francesa. “Império” e “Imperador” era, portanto, o modo mais seguro de legitimar o seu poder de forma grandiosa, majestática e solene sem retomar os hábitos da antiga monarquia de França, que considerava extinta.

Era assim um anúncio de um novo tempo, de uma nova era, em consonância com o novo calendário que a república francesa tinha adotado. Deste modo, depois de ter alcançado o poder absoluto, Napoleão extinguiu a República e proclamou o Primeiro Império, a 18 de maio de 1804, e fez-se coroar imperador (e Josefina, imperatriz), no dia 2 de dezembro.

 

  • Como foi a cerimónia?

Como era esperado, foi uma cerimónia de enorme luxo e aparato, destinada a conferir a máxima solenidade e impacto junto da população. Teve lugar na Catedral de Notre Dame e foi precedida de desfile pelas ruas, desde as Tulherias. O mais interessante é verificar a forma como Napoleão quis separar a consagração religiosa da civil, emanada dos valores da República. A procissão onde seguiu o Papa Pio VII era distinta daquela onde seguiu ele próprio e, no momento da deposição da coroa imperial, ele próprio colocou a coroa na sua cabeça, em vez de recebê-la das mãos do Papa. Isto era um sinal de que ele era imperador por mérito próprio, e por vontade do povo francês, e não por concessão papal. Napoleão assumiu igualmente um conjunto de insígnias associadas à dignidade real, como o manto púrpura e emblemas da dinastia de Carlos Magno. Seguiu-se um juramento, no qual jurou defender a integridade da França, e uma aclamação.

 

  • Teve algum efeito político?

Napoleão desejava naturalmente legitimar o seu poder, não apenas pessoal como dos seus descendentes e a sua intenção era criar uma dinastia. O Primeiro Império Francês durou até 1815, precisamente o tempo em que Napoleão esteve no poder. Após a sua queda assistiu-se à restauração da monarquia, com Luís XVIII, cujo reinado durou até 1824. O regime bonapartista só regressou ao poder em 1852, com a instauração do Segundo Império Francês, com Napoleão III, sobrinho de Bonaparte, que durou até à derrota da França na Guerra Franco-Prussiana, em 1870.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Coroação de Napoleão Bonaparte
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2016
  • Coroação de Napoleoão: Jacques-Louis David

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui