Pesquisar

A Revolução de Outubro na Rússia

No dia 25 de outubro de 1917, segundo o calendário então em vigor na Rússia e que corresponde a 7 de novembro do calendário vigente, os bolcheviques lançaram o assalto final à sede do governo provisório, em S. Petersburgo, e tomaram o poder.

O golpe foi preparado apenas com alguns dias de antecedência e era previsível, uma vez que desde há algum tempo que os bolcheviques controlavam os acessos e os pontos vitais da cidade. Nesse dia teve lugar o ataque final e decisivo, com o cerco ao chamado Palácio de Inverno, o último reduto do governo provisório. As hostilidades tiveram início durante a tarde e às 10 horas da noite o cruzador Aurora disparou os primeiros tiros a partir do porto. Embora a historiografia oficial soviética viesse mais tarde a pintar este episódio com cores heróicas, o assalto deparou com pouca resistência. Este dia assinala, portanto, o desfecho de um longo processo que conduziu à vitória dos comunistas na Rússia.

 

  • Como foi esse processo? 

No início do século XX, os bolcheviques não existiam ainda enquanto organização autónoma. Isso só aconteceu em 1903, quando ocorreu uma cisão no interior do Partido Operário Social-Democrata Russo: a maioria dos delegados, que formava uma espécie de “linha dura” que preconizava a revolução armada, foi chamada de “bolchevique” que significa, precisamente, “maioritário” em russo. Posteriormente, veio a dar origem a um novo partido e a adotar a designação de “comunista”, assumindo-se como a vanguarda da luta armada contra o regime do Czar. Os bolcheviques aumentaram gradualmente a sua implantação e influência junto de soldados, operários e camponeses, que constituíam a sua base social de apoio. As suas células-base eram assembleias populares, formadas em cada cidade, e que se chamavam “sovietes”. Os bolcheviques desempenharam um papel importante nas revoltas de 1905, mas a tomada do poder tornou-se um objetivo próximo apenas em março de 1917, com a abdicação do czar e o fim do império russo.

 

  • Que aconteceu nessa altura? 

A Rússia estava há vários anos mergulhada numa profunda crise política, económica e social. O regime autoritário do czar Nicolau II tinha-se mostrado incapaz de reformar o estado russo e de corrigir as enormes desigualdades que existiam no país. A entrada da Rússia na I guerra mundial agravou subitamente o descontentamento social e o estado de penúria em que vivia boa parte da população. Em março de 1917, o regime colapsou. O czar abdicou do trono e subiu ao poder uma junta provisória que juntava diversas sensibilidades, desde liberais e reformistas a aristocratas e socialistas. Mas o poder nas ruas da capital e das principais cidades estava nas mãos dos sovietes, controlados pelos bolcheviques, que não reconheciam a autoridade do governo provisório e que reclamavam a revolução total. O primeiro-ministro Alexander Kerenski cometeu diversos erros, o principal dos quais foi o de manter a Rússia na guerra, que tinha esgotado os recursos do país e era o grande motivo da revolta social. A sua queda, a 7 de novembro, consagrou a tomada do poder pelos bolcheviques, sob a liderança de Lenine.

 

  • Quem era Lenine? 

Vladimir Ilyich Ulyanov, mais conhecido pelo seu nome de guerra, Lenine, nasceu em 1870, no seio de uma família da classe média russa. Abraçou desde cedo a causa revolucionária e a contestação ao regime do czar, tendo desempenhado um papel de relevância crescente na liderança do processo que conduziu à revolução russa. Esta liderança teve um duplo sentido: em primeiro lugar, Lenine era um intelectual, que teorizou e adaptou as premissas do materialismo histórico desenvolvido por Marx e Engels à realidade da Rússia do século XX, criando um corrente política específica que adotou o seu nome, ou seja, leninismo. Em segundo lugar, foi o principal líder político do movimento revolucionário bolchevique, que organizou e dirigiu quer no exterior, durante os anos em que viveu no exílio, quer na Rússia, onde regressou em 1917. Foi o chefe incontestado da nova Rússia soviética, o primeiro estado comunista do mundo, até à sua morte, em janeiro de 1924.

 

  • O que aconteceu depois do golpe de 7 de novembro?

Após a queda do governo provisório de Kerenski, nesse dia, reuniu-se o congresso dos Sovietes, que juntou centenas de delegados de toda a Rússia e ratificou a revolução, entregando o poder a um Conselho dos Comissários do Povo, presidido por Lenine. Este emitiu imediatamente dois decretos que iam ao encontro das expectativas populares e mereceram, portanto, apoio generalizado: o fim imediato da participação russa na guerra e uma reforma agrária. Duas semanas mais tarde foram realizadas as primeiras eleições livres na Rússia. No entanto, as expectativas de Lenine de obter uma vitória eleitoral não se concretizaram, uma vez que o partido mais votado, com clara vantagem, foi o Partido Socialista Revolucionário. Porém, este veio a dividir-se, sobretudo após a dissolução da assembleia constituinte, em 1918. Os bolcheviques consolidaram gradualmente o seu poder e acabaram por dispersar ou eliminar todos os seus oponentes políticos, constituindo-se como a única força dirigente da Rússia revolucionária.

 

  • Quais foram as consequências da Revolução de Outubro? 

O efeito imediato da tomada do poder pelos bolcheviques foi a saída da Rússia da guerra e a assinatura de uma paz separada com a Alemanha e a Áustria-Hungria. Para os aliados, isto constituiu uma traição, a que se somava naturalmente a enorme desconfiança causada pelo projeto revolucionário comunista. Portanto, e durante os anos seguintes, as potências europeias financiaram e prestaram apoio às forças que lutavam contra o novo poder revolucionário no interior da Rússia.

Estas ficaram conhecidas como “brancos”, em oposição aos “vermelhos” bolcheviques e agregavam monárquicos, senhores da guerra, socialistas, liberais e um vasto leque de forças que se opunham ao poder bolchevique, agora sediado em Moscovo. Houve revoltas e insurreições por toda a Rússia, que viveu um estado de guerra civil que dividiu o país durante praticamente 5 anos. No final, o exército vermelho acabou por sair vencedor e por controlar toda a Rússia. Em 1922, foi oficialmente proclamada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, URSS, que exerceu uma enorme influência sobre os destinos mundiais ao longo de todo o século XX, até à sua extinção em 1991.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - A Revolução de Outubro
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Imagem: Kustodiev: "O Bolchevique" (Licença creative commons)

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui