Pesquisar

Livros e leituras antes e depois da revolução de abril

Durante a ditadura, a leitura era enaltecida na televisão, mas foram muitos os escritores que viram os seus livros proibidos. Hoje não há censura mas, garantem as estatísticas, lê-se cada vez menos.

Almeida Faria e Bruno Amaral Vieira são escritores de gerações diferentes e experiências de vida diferentes, que aqui fazem retratos do país onde vivem.

O primeiro sofreu com as imposições da censura que o tornaram um escritor proscrito mal chegou aos 20 anos de idade, altura em que já tinha recebido o prémio revelação da Sociedade Portuguesa de Autores.

O Estado Novo não via com agrado as suas inclinações políticas retratadas nas descrições que fazia do Alentejo onde cresceu.  Nas páginas das suas obras assistia-se ao choque entre patrões e empregados e aos disparos da GNR sobre multidões de desempregados que protestavam pedindo uma vida melhor.

Bruno Amaral Vieira, por seu lado, é filho de um retornado e cresceu num bairro social de Lisboa. A sua escrita circula livremente e retrata a realidade labiríntico de várias zonas da capital portuguesa.

O mundo é o bairro onde cresceu e onde vivem os desempregados que a crise mais recente deixou e os esquecidos do fim do império.

Ficha Técnica

  • Título: E depois de Abril: Literatura
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Teresa Nicolau
  • Produção: RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.