Pesquisar

Morte do imperador Teodósio e divisão do Império Romano

A morte de Teodósio, que ocorreu a 17 de janeiro de 395, é uma data importante para a história do Império Romano e do mundo mediterrânico, porque assinalou a separação definitiva entre o império do ocidente e o império do oriente, que foram herdados, respetivamente, pelos seus filhos Honório e Arcádio.

A linha de separação entre as duas partes passava, sensivelmente, pela atual Albânia e pelo meio do que é hoje a Líbia. Esta divisão tinha sido decretada um século antes pelo imperador Diocleciano, que constatou que a enorme extensão dos domínios de Roma era impossível de governar sob um comando único. Instaurou então a Tetrarquia imperial, segundo a qual cada uma das duas partes do império era governada por um Augusto, auxiliado por um César. No entanto, as duas metades foram reunificadas por diversas ocasiões, a última das quais entre 392 e 395, quando Teodósio derrotou os usurpadores do império ocidental e assumiu o controlo total.

 

  • Como foi o reinado de Teodósio?

 

Teodósio era originário da Galiza e era filho de um general romano que se tinha distinguido nas campanhas na Bretanha. Era, portanto, um homem de armas, que liderou várias companhas militares e ascendeu aos círculos mais altos do poder quando foi convidado a assumir a regência do império oriental após a morte do imperador Valente, em 378. O seu governo foi dominado, como os dos seus antecessores, pelos problemas militares e de defesa. O mais urgente envolvia a fixação de tribos visigóticas dentro das fronteiras do império, na região que corresponde à moderna Jugoslávia, e que Teodósio conseguiu controlar e, até certo ponto, colocar ao seu serviço. Além disso, combateu e saiu vitorioso das revoltas internas no império, que conseguiu reunificar provisoriamente.

A sua ação no campo religioso foi igualmente importante, com a emissão de decretos que tornaram a doutrina cristã do Concílio de Niceia na igreja oficial do império e a proibição de diversas práticas ligadas aos antigos cultos pagãos de romanos e gregos, como os Jogos Olímpicos.

 

  • Que sucedeu depois da sua morte?

 

As duas metades do império romano, que após a morte de Teodósio não se voltaram a reunificar, tiveram rumos completamente distintos. A parte ocidental entrou rapidamente em colapso e fragmentou-se em pequenos reinos dominados pelos chefes bárbaros. Roma foi saqueada em 410 e o próprio império desapareceu oficialmente em 476, com a deposição do último imperador. Quanto à metade oriental, que tinha a capital em Constantinopla e a que vulgarmente damos a designação de império bizantino, sobreviveu ao período turbulento das guerras civis e emergiu como a principal potência mediterrânica ao longo dos séculos seguintes.

Os imperadores reclamaram a herança do antigo império romano, o que lhes garantiu um enorme prestígio junto de toda a cristandade, tanto oriental como ocidental. Embora gradualmente ameaçado pelo surgimento de novas potências e enfraquecido por conflitos internos, o império bizantino sobreviveu mil anos, até cair finalmente às mãos dos turcos otomanos, em 1453.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

Ficha Técnica

  • Título: Dias da História - Morte do Imperador Teodósio e divisão do Império Romano
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2018
  • Morte Teodósio: Anthony van Dyck

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui