Pesquisar

Os Lusíadas: um poema épico e crítico

O poema de Luís de Camões é uma celebração da pátria, do império que alargou o mundo partindo para o desconhecido. Mas "Os Lusíadas" não é só a exaltação de uma epopeia. Para Hélder Macedo, especialista camoniano, a obra é também uma crítica ao poder.

A poesia de Camões espelha o seu conhecimento e visão do mundo. O seu discurso épico n´Os Lusíadas, revisita épocas gloriosas do passado com uma linguagem nova, fundadora do português moderno. A viagem de Vasco da Gama à Índia é a aventura primeira dos Descobrimentos ilustrada na obra com histórias míticas que, verso a verso, canto a canto, fazem dela uma obra única, convertida em poema nacional e profético do destino de um povo.

Nesta entrevista de quatro minutos, o romancista, poeta e ensaísta Helder Macedo defende que a obra deve ser lida não apenas como elogio aos feitos dos portugueses, mas também como uma obra subversiva. Porque, sublinha, Camões era um homem subversivo, um poeta da incerteza.

Ficha Técnica

  • Título: Câmara Clara
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.