Pesquisar

Pedro Calapez e a obsessão pela linha

No princípio é a linha que provoca o olhar deste artista plástico. A partir daí, Pedro Calapez estuda diferentes caminhos até ao momento em que o desenho se apropria da superfície lisa da tela. O gesto de riscar, de gravar o traço, é fundador da sua obra.

O desenho impôs-se na vida de Pedro Calapez era ele estudante do quarto ano de engenharia. Trocou de curso, foi para belas artes e nunca se arrependeu. O percurso artístico é sólido, tecido em linhas que transportam diferentes geometrias para dentro dos quadros. O traço dá força à obra e os seus trabalhos revelam-se e distinguem-se na década de oitenta, em Portugal e no estrangeiro.

Na reportagem que aqui trazemos, realizada em 1995, encontramos Calapez a trabalhar no seu atelier, debruçado sobre a tela que vai cobrindo de vermelho. Depois vem o desenho, a mão que se equilibra na linha e rompe a camada de tinta, recriando paisagens gráficas.

O artista vai explicando o processo de trabalho, o gosto que tem em experimentar coisas novas, novos materiais. E confessa que não consegue fazer a distinção entre pintura e desenho.

 

 

 

  • Temas: Artes, Pintura
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Magazine de Artes visuais
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Autoria: Isabel Colaço e Alexandre Melo
  • Produção: Produção Zebra para a RTP
  • Ano: 1995

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui