Pesquisar

Qual é o poder da imprensa?

A forma como os meios de comunicação estão a ser consultados e utilizados mudou muito nos últimos anos. O surgimento dos motores de busca e das redes sociais alterou profundamente a forma de consumo, o que teve um enorme impacto na produção noticiosa. Para muitos, é o próprio jornalismo que tem perdido poder.

A primeira página dos sites dos órgãos de comunicação social deixou de ser a porta de entrada dos leitores, ouvintes e espectadores que agora procuram diretamente as notícias que lhes interessam, acedendo a estas através de motores de busca ou alertados através de redes sociais.

Estes novos difusores de informação – as redes sociais e os motores de busca –  funcionam como um filtro ou como molas impulsionadoras para o noticiário criado pelos jornalistas.

Estas soluções apresentam riscos pois as notícias surgem muita vezes acompanhadas com comentários externos ligeiros ou indicando soluções que induzem os consumidores da notícia a encarar os problemas como se tivessem soluções fáceis, o que raramente é verdade.

Por outro lado o jornalistas vivem um período de “corta e cola”, muitas vezes não fazem escolhas entre as notícias que surgem, divulgando tudo o que aparece porque há espaço para o fazer e público para consumir – mesmo que seja em número muito reduzido –  interessado em ver todo o tipo de notícias.

Ficha Técnica

  • Título: Fronteiras XXI - Qual poder tem a Imprensa hoje
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Ana Romeu/ Hugo Antunes/ Liliana Claro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2018

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui