Pesquisar

Tomás Vieira, morto num campo nazi

Preso pelos franceses por ser considerado um estrangeiro indesejável, Tomás Vieira viria a morrer num campo de concentração controlado pelos nazis. O fim de uma vida que começara em Paderne, concelho de Albufeira, no Algarve.

Nascido em 1890, Tomás Vieira emigrou com a mulher e as filhas para França, abrindo uma pequena mercearia em Paris. Em 1939 acabaria, no entanto, por ser preso pelos franceses por ser considerado indesejável.

No princípio da guerra os franceses detiveram milhares de pessoas pela mesma razão. Os motivos das autoridades gaulesas estavam relacionados, frequentemente,  com o facto de considerarem estes estrangeiros perigosos para a segurança do pais, nomeadamente por serem comunistas ou fascistas, por exemplo.

Tomás Vieira, como outros, foi enviado para o campo de concentração de Vernet, na zona de Ariége. Local onde se podiam encontrar outros cidadãos também considerados indesejáveis, grupos de ex-combatentes republicanos da Guerra Civil de Espanha e até presos de delito comum.

Antes do final da II Guerra Mundial Vieira seria seria transferido para campos de concentração alemães acabando por morrer em Mauthausen, na Áustria.

 

Ficha Técnica

  • Título: Não Neutrais - Tomás Vieira
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Ana Luísa Rodrigues/ Carla Quirino/
  • Produção: RTP
  • Ano: 2019

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui