Júlio César atravessa o Rubicão
Ensino:

O Rubicão é um pequeno rio no nordeste da Itália, cuja identificação não é completamente segura mas que se pensa tratar-se do rio Fiumicino. Na Antiguidade, o rio marcava a fronteira entre a Gália Cisalpina e os territórios administrados por Roma.

A 10 de janeiro de 49 a.C. , o general romano Júlio César passou o rio em direção a Roma, com a sua legião, o que era estritamente proibido pelas regras da República e considerado como um ato de guerra. Júlio César terá então proferido a célebre frase “alea iacta est” (“a sorte está lançada”) e a expressão “passar o Rubicão” ficou para a História como uma decisão arriscada, irreversível e sem retorno.

 

  • Qual o motivo que o levou a tomar essa decisão?

Dois homens disputavam o poder, nessa altura: o general Pompeu Magno, que era o homem mais poderoso de Roma e que tinha o apoio das famílias mais importantes do Senado, e Júlio César. Este ganhava cada vez mais apoios, sobretudo junto do povo romano, devido aos sucessos militares que tinha obtido nas campanhas da Gália. Apesar de terem formado uma aliança durante algum tempo (o Primeiro Triunvirato), o conflito era inevitável.

Quando regressou da Gália a caminho de Roma, César soube que o Senado lhe tinha retirado o poder e que se preparava para destituí-lo. Ordenou-lhe portanto que regressasse a Roma e dispersasse o seu exército. Em vez de obedecer, Júlio César fez exatamente o contrário: avançou sobre Roma à frente da sua legião, num claro desafio ao Senado romano e ao seu rival.

 

  • Que consequências teve?

A decisão de César levou a um período de guerra civil. Apesar de ter apenas uma legião, a sua ousadia assustou os seus inimigos, que fugiram de Roma em vez de defender a cidade. Assim, apesar de dispor de forças inferiores, César perseguiu Pompeu Magno, que se refugiou na Grécia. Nas várias batalhas que se sucederam, César conseguiu vitórias importantes, mesmo quando estava em clara inferioridade.

De homem mais poderoso de Roma e paladino do Senado e das leis da República, Pompeu Magno passou a fugitivo em pouco tempo, até à sua derrota final no Egito, onde foi assassinado por ordem do rei Ptolomeu XIII. Júlio César derrotou os seus inimigos e prosseguiu a sua trajetória vitoriosa até ser aclamado como ditador perpétuo em Roma. Viria a ser assassinado em pleno Senado, 5 anos depois da famosa passagem do Rubicão, por um grupo de senadores.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Júlio César atravessa o Rubicão
  • Tipologia: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • César Rubicao: Andrea Mantegna/ Royal Collection