Museu da Escrita do Sudoeste, em Almodôvar
Ensino:

É a escrita mais antiga que se conhece na Península Ibérica e a segunda mais antiga da Europa. Conhecida como a escrita do sudoeste, os seus vestígios encontram-se no sul do país, em pedras que se acredita serem estelas funerárias.

No Museu da Escrita do Sudoeste, em Almodôvar, podem encontrar-se vários destes testemunhos, atribuídos a uma população que se estendeu pela Extremadura espanhola, pela Andaluzia e pelo sul do Alentejo.

Um grande número de caracteres parecem ter influência fenícia, mas outros só se encontram naquela região, e apesar de se ter uma ideia da fonética não há qualquer perceção sobre o seu significado. Acredita-se que nas pedras se encontram fórmulas funerárias e que as estelas (blocos de pedra com inscrições) eram utilizadas para marcar locais de enterramento e/ou servir de marcos na paisagem.

Muitas destas pedras escritas, que datam do período entre os séculos VII e V antes de Cristo, foram encontradas fora do seu contexto, em construções do período romano ou outros lugares para onde terão sido levadas em tempos longínquos. Uma delas, conhecida como o signário de Espanca, é curiosa porque mostra possivelmente a arte de um mestre que ensina um aprendiz. Tem duas filas de caracteres, uma marcada de forma forte e outra, idêntica, em forma de cópia, mais hesitante.

Este programa integra a série “Em Busca do Museu Desconhecido”, na qual a RTP efetua uma viagem por todo o país, mostrando espaços museológicos menos conhecidos do grande público.

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Em Busca do Museu Desconhecido - Museu da Escrita do Sudoeste
  • Tipologia: Programa
  • Autoria: Margarida Metello/ Sofia Leite
  • Produção: RTP
  • Ano: 2020