Pesquisar

Núcleo islâmico do Museu de Tavira e Bairro Almóada

Um dos núcleos mais interessantes do Museu Municipal de Tavira é o que está relacionado com o período islâmico. Deste acervo destaca-se a peça conhecida como o vaso de Tavira, um ex-libris da presença muçulmana no país durante os séculos XII e XIII.

O vaso tem um canal no topo em forma de tubo que permite a passagem de água, despejada para o interior de uma torre – uma espécie de gargalo funil – que se encontra na borda. O líquido sai, depois, pelas bocas de algumas das figuras zoomórficas que decoram os bordos.

No total seriam 14  figuras entre representações de humanos e de animais, mas apenas foram encontradas onze. São dois cavaleiros armados, um guerreiro apeado com uma besta, uma mulher também a cavalo, dois músicos, e alguns animais: um bovídio, uma cabra (ou  gazela), um camelo, um leão (ou carneiro), uma tartaruga e um bando de pombas no topo da torre/gargalo. Trata-se de um peça única cuja função não é óbvia, mas é apenas uma entre muitos materiais do mesmo período entre os quais se incluem louça corrente, cantis, pias de abluções entre outras.

Este programa integra a série “Em Busca do Museu Desconhecido”, em que a RTP efetua uma viagem por todo o país mostrando espaços museológicos menos conhecidos do grande público.

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Em busca do museu desconhecido - Núcleo islâmico do Museu de Tavira e Bairro Almóada
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Margarida Metello/ Sofia Leite
  • Produção: RTP
  • Ano: 2020

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui