Pesquisar

O fim do cerco de Lisboa

Lisboa era uma cidade importante na península ibérica, muçulmana, e era um objetivo importante do rei português Dom Afonso Henriques. Foi em 1147 que, após obter um acordo com os cruzados, Dom Afonso Henriques decidiu atacar a cidade, que se rendeu após um cerco prolongado de cerca de três meses.

Lisboa era uma cidade fortificada e aliás ja tinha havido tentativas anteriores que tinham fracassado. O que Dom Afonso Henriques aproveitou foi o facto de ter conquistado Santarém, que ficava a alguma distância mas um pouco nas redondezas de Lisboa e, sobretudo, a presença de um contingente de cruzados no Porto, nessa altura. E portanto planeou um ataque conjunto à cidade por mar e por terra. Convinha dizer que estes  cruzados estavam no Porto a caminho da Terra Santa, no decorrer da Segunda Cruzada, que tinha sido anunciada pelo papa.

E, portanto, após a obtenção de um acordo com os cruzados, que eram sobretudo ingleses, franceses, flamengos, alemães, fez-se uma espécie de uma aliança e a cidade foi atacada conjuntamente pelas duas forças. Não houve uma rendição imedita, a cidade recusou render-se, houve um cerco que durou alguns meses. A cidade só aceitou render-se após parte da muralha ter sido acedida. Houve uma brecha da muralha, houve a preparação de uma torre de assalto que se aproximou  e perante a eminência o assalto e com as possíveis consequências para a população da cidade é que as autoridades de Lisboa aceitaram render-se, em 21 de outubro de 1147.

 

  • Qual foi a importância desta tomada de Lisboa?

Lisboa era um ponto estratégico importante. Como é sabido, Dom Afonso Henriques não era rei de um reino em paz, era um reino em expansão para sul a chamada Reconquista. Nesse avanço para sul e de tomada de cidades e de pontos estratégicos aos reinos muçulmanos havia uma linha importante que era a linha do Tejo e Lisboa era certamente, para além de ser um porto importante e uma cidade importante, dominava essa linha do rio Tejo.

É de salientar que após queda e a tomada de Lisboa,  as localidades nas redondezas de Sintra e de Palmela entregaram o castelo aos portugueses e isso permitiu o reforço e a consolidação desta linha do Tejo que depois, mais tarde, veio permitir o avanço mais rápido e mais progressivo para sul com D. Afonso Henriques e com os reis seguintes.

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Fim do Cerco de Lisboa
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2016
  • Cerco de Lisboa 1147: Joaquim Rodrigues Braga (1793-1853)

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui