Pesquisar

Os anos de poder de Marcelo Caetano

Marcelo Caetano sucedeu a Oliveira Salazar em 1968, e o país viveu a primavera marcelista, uma expetativa de mudança que não se concretizou. Cada vez mais sozinho, foi cercado no quartel do Carmo, em abril de 1974, e entregou o poder ao general Spínola.

Formado em direito ajudou, ainda jovem, na redação da constituição do Estado Novo, sufragada em 1933.

Ligado ao ensino de direito ao longo de várias décadas começou a carreira política nos anos quarenta na liderança da Mocidade Portuguesa.

Apontado como um dos delfins de Oliveira Salazar, assume a presidência do Conselho de Ministros quando este último deixa o poder, incapacitado, após cair de uma cadeira. A sua nomeação, em 1968, abre grandes expetativas entre as correntes mais progressistas da União Nacional, o partido único no país, mas estas depressa saem goradas e Marcelo Caetano vê-se cada vez mais sozinho, abandonado tanto pela chamada linha dura como pelos progressistas do regime.

Em 1974 resiste à tentativa de golpe que tem lugar a 16 de Março, mas o mesmo não acontece passado pouco mais de um mês. No dia 25 de Abril, cercado no quartel da GNR do Carmo, rende-se e entrega o poder ao General Spínola.

Morre em 1980 no Brasil, país onde se tinha exilado.

Ficha Técnica

  • Título: Biografia Política de Marcello Caetano
  • Tipo: Reportagem
  • Produção: RTP
  • Ano: 2006

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui