Pesquisar

"Quando Eu, Senhora, em Vós os Olhos Ponho", de Sá de Miranda

Poeta e dramaturgo de Quinhentos, Francisco de Sá de Miranda é considerado um inovador. Aperfeiçoou a técnica do novo soneto renascentista, mas manteve-se fiel à tradição das cantigas, das esparsas e dos vilancetes. Tomamos como exemplo da sua arte poética este "Quando Eu Senhora, em Vós os Olhos Ponho" dito pelo ator Miguel Guilherme. Poesia para ver, ouvir e ler aqui.

Quando Eu, Senhora, em Vós os Olhos Ponho

Quando eu, senhora, em vós os olhos ponho,
e vejo o que não vi nunca, nem cri
que houvesse cá, recolhe-se a alma a si
e vou tresvaliando, como em sonho.

Isto passado, quando me desponho,
e me quero afirmar se foi assi,
pasmado e duvidoso do que vi,
m’espanto às vezes, outras m’avergonho.

Que, tornando ante vós, senhora, tal,
Quando m’era mister tant’ outr’ ajuda,
de que me valerei, se alma não val?

Esperando por ela que me acuda,
e não me acode, e está cuidando em al,
afronta o coração, a língua é muda.

Sá de Miranda
in Antologia Poética

Ficha Técnica

  • Título: Voz
  • Tipo: Programa de Poesia
  • Produção: Produções Fictícias / até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2005

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui