Pesquisar

A Ordem dos Beneditinos

Durante vários séculos, a Ordem fundada por S. Bento em 529 no convento italiano do Monte Cassino foi uma das mais famosas no Ocidente. Comprometidos com o voto de pobreza, o amor a Deus e ao trabalho, os monges eram um exemplo de prestígio e prosperidade

Nos conventos beneditinos o tempo não se gastava em contemplações, porque a ociosidade, como defendia o seu fundador, era a maior inimiga da alma. Os monges entregavam-se a Deus e ao trabalho manual, em regime de pobreza voluntária e castidade absoluta. Eram eles engenhosos cultivadores das terras que lhes eram doadas por reis e devotos, leitores atentos de livros santos e hábeis copistas de obras antigas, sagradas e profanas.

Terá sido por volta do século XI que os beneditinos entraram na Península Ibérica, ainda Portugal não era um reino independente, desempenhando um importante papel no povoamento do território aquando da Reconquista.

Localizados sobretudo na província de Entre-Douro-e-Minho, os mosteiros funcionavam como centros dinamizadores da sociedade, a comunidade monacal tinha o dever de ensinar técnicas agrícolas e outros ofícios e, claro, garantir a prática espiritual dos preceitos cristãos. O contributo deste frades para a expansão cultural e para o aumento da riqueza pública foi reconhecido em toda a Europa.

Em Portugal, a casa-mãe da congregação de S. Bento ficava no Mosteiro de Tibães, em Braga. Um monumento espetacular e exemplar da sofisticação dos beneditinos, que visitamos aqui.

Ficha Técnica

  • Título: Visita Guiada - Mosteiro de Tibães, Braga
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.