Pesquisar

Judia: a fêmea que pode tornar-se macho

Apesar do nome feminino, as fêmeas desta espécie de peixes podem passar a machos porque, tal como outros peixes da sua família, são hermafroditas. Quando isso acontece, por volta do ano de idade, mudam também a coloração.

As fêmeas são vermelhas, amarelas, com uma banda branca ao longo do corpo. Passam a verdes e perdem a banda branca quando, atingindo cerca de 18 centímetros de comprimento, passam a ser machos secundários.

É ainda na coloração que reside mais uma curiosidade da Judia: a população do mediterrâneo tem uma coloração diferente nos machos, que faz com que pareça trocada. A parte anterior do corpo parece não corresponder à parte posterior.

As judias macho são agressivas entre elas e podem encontrar-se a maiores profundidades mas, em geral, podem encontrar-se machos e fêmeas na mesma área. Vivem sobre fundos rochosos, os que preferem e onde se encontram mais, mas também sobre fundos arenosos. É-lhes característico usar a areia para se esconderem, disfarçando-se assim dos perigos dos predadores.

Alimentam-se de ouriços do mar, pequenos vermes e pequenos crustáceos.

Ficha Técnica

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui