Pesquisar

Clarice Lispector: "o espírito que se maravilhava com o mundo"

"Amo a língua portuguesa", declarou um dia a escritora brasileira que nasceu na Ucrânia. Clarice Lispector queria que esta língua chegasse ao máximo pelas suas mãos. Publicou 26 livros, obra inquietante e misteriosa que a tornou uma autora de culto.

Clarice Lispector procurava o “entendimento das coisas e das pessoas”. Através da escrita mergulha no desconhecido, pesquisa o seu próprio eu e interroga-se sobre os mistérios do mundo. O que faz de forma pessoal mas não confessional, como sublinha neste vídeo Teolinda Gersão, leitora assídua da obra de uma das maiores escritoras de língua portuguesa e do Brasil.

A história desta mulher começa na Ucrânia em 1920. O seu nome era então Chaya Pinkhasovna Lispector. Aos 2 anos vem com os pais para o Brasil, em fuga da perseguição aos judeus, durante a guerra civil russa. Na nova terra fica a ser Clarice, menina pequena que gosta de fazer jogos de palavras. Chegada aos 13 anos decide que quer ser escritora: “Quando eu comecei a ler eu lia muito livro de histórias. Eu pensava que livro era uma coisa que nasce. Eu não sabia que era coisa que se escrevia. Quando eu soube que livro tinha autor, eu disse: Também quero ser autor.”

Muito jovem ainda, inicia-se no jornalismo, faz artigos sobre temas diversos, dá conselhos de beleza, entrevista celebridades. O romance inaugural, “Perto do Coração Selvagem”, publicado em 1943, é um acontecimento no meio literário. Primeiro é encarada com estranheza mas depois arrebata a crítica brasileira.

Entre romances, contos e histórias infantis, constrói uma obra sem concessões: “Eu não enfeito, eu escrevo simples”. A sua ficção traduz-se numa narrativa literária, poética e filosófica. Numa palavra: intensa. Há quem a considere um Fernando Pessoa no feminino, pelo desassossego que provoca e porque os dois partilham um amor confessado pela língua portuguesa.

 

Ficha Técnica

  • Título: Ler+ ler melhor - Clarice Lispector, "A Descoberta do Mundo"
  • Tipo: Extrato de Magazine Cultural
  • Produção: Filbox produções
  • Ano: 2013

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui