Pesquisar

Como era Silves no tempo dos muçulmanos

Durante os quase cinco séculos de domínio árabe no território português, Silves ficou conhecida como a «Bagdade do Ocidente». Próspera e opulenta, a cidade foi disputada tanto por cristãos como por muçulmanos. Após sangrentas batalhas, D. Afonso III conquistou-a definitivamente em meados do século XIII.

Habitada desde a pré-história, a pequena povoação junto à qual corre o rio Arade, havia de ser várias vezes a capital do Algarve mourisco, elogiada por poetas árabes e cobiçada por reis mouros de sucessivas dinastias. Silves, então a muçulmana “Chelb”, era a mais grandiosa cidade do ocidente da Península Ibérica, com um comércio próspero, uma importante indústria naval  e uma vida cultural intensa.

Assim a descreve o historiador Oliveira Martins: “(….) contava cerca de trinta mil habitantes, era opulenta em tesouros e formosa em construções. Davam-lhe a primazia entre as cidades da Espanha árabe. Vestida de palácios coroados pelos terraços de mármore, cortada de ruas com bazares recheados de preciosidades orientais, cercada de pomares viçosos e jardins, Chelb era a pérola de Chenchir (Algarve), onde os pródigos da Mauritânia vinham gozar com as mulheres formosas, de puro sangue árabe, os seus ócios luxuosos. Era ao mesmo tempo uma praça terrivelmente fortificada (…)”.

Não surpreende portanto que a defesa desta cidade abastada tivesse sido estrategicamente planeada, levantado-se muralhas, torres, fossos e castelo para proteger a praça de ataques inimigos. Em 1189, Sancho I, com a ajuda militar da terceira cruzada, avançava sobre Silves para impedir que os infiéis continuassem a assediar terras entretanto reconquistadas para o novo reino. Mas o título de «Rei de Portugal, de Silves e do Algarve» duraria apenas um ano, até o exército de Al-Mansur tomar a cidade, atravessar o Tejo, apoderar-se de Torres Novas e atacar Tomar, que foi defendida pelos Templários.

Só quando o império almóada colapsou foi possível a D. Afonso III fazer do Algarve uma terra inteiramente portuguesa. Entre 1242 e 1246, após sangrentos combates, os mouros capitularam. A arqueóloga que escavou os vestígios do al-Andalus em Silves, conta aqui como era a cidade no tempo dos muçulmanos.

 

 

 

 

Ficha Técnica

  • Título: Visita Guiada - Os Muçulmanos do Al Andaluz -Castelo de Silves e Poço Cisterna
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.