Pesquisar

Golpe de 28 de Maio de 1926

Com os políticos republicanos sem capacidade para resolver os problemas do país, os militares desferem um golpe que vai levar à implementação do Estado Novo, um dos muitos fascismos que cresceu na Europa.

Greves e outras manifestações de insatisfação explodem no último período da 1ª República em Portugal.

Os militares preparam e dirigem golpes contra a república, sem grandes resultam até que, em 28 de Maio de 1926, a maioria das unidades militares do país sublevam-se e os partidos republicanos são afastados do poder.

Nos anos seguintes, entre alguma instabilidade, este golpe militar vai levar um civil até ao topo do poder. António de Oliveira Salazar vai começar por ocupar a pasta das finanças, mas depressa chega à Presidência do Conselho de Ministros.

Implementa um novo regime com características ditatoriais, o Estado Novo que só será derrubado em 1975.

Ficha Técnica

  • Título: Primeira República Portuguesa
  • Tipo: Extrato de Documentário
  • Autoria: José Elyseu/ José António Saraiva
  • Produção: RTP
  • Ano: 1978

Testa o teu conhecimento

“Onde tem inicio o Golpe de 1926?”

  • Em Lisboa
  • Em Braga
  • Em Bragança
  • No Porto

“Quem comandou o movimento militar durante o Golpe de 1926?”

  • Gomes da Costa
  • Mendes Cabeçadas
  • Afonso Costa
  • Armando Ochoa

“Quem era o Presidente da República até ao Golpe de 1926?”

  • Teófilo de Barga
  • Mendes Cabeçadas
  • Bernardino Machado
  • Óscar Carmona

“Para onde foram enviados os chefes da revolta?”

  • Forte de São Julião da Barra
  • Forte da Ameixoeira
  • Forte dos Olivais
  • Forte da Graça

“Quem assume o cargo de chefe de Estado e Presidente do Ministério após o Golpe de 28 de Maio de 1926?”

  • Gomes da Costa
  • Mendes Cabeçadas
  • Bernardino Machado
  • Óscar Carmona

Resultado do teu conhecimento

  • És
Tenta melhorar as tuas respostas.
Repetir Quiz

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.