Pesquisar

A guerra civil entre liberais e absolutistas

A morte de D. João VI criou um problema na sucessão dinástica, com dois príncipes candidatos ao trono, mas com visões de poder diferentes. As tentativas de mediação falharam e o país caiu numa guerra civil que opôs absolutistas a liberais.

Para assumir a coroa portuguesa alinham-se os irmãos D. Pedro e D. Miguel. Um tem uma visão liberal de governação e outro está apostado em manter os direitos absolutos da monarquia, razões para cada um reunir um conjunto de seguidores prontos a dirimir argumentos recorrendo ao uso de armas.

D. Pedro, então imperador do Brasil, país que tinha reclamado a sua independência anos antes, não pode assumir a coroa portuguesa, mas endossa o trono à sua filha mais nova. Numa tentativa de apaziguar ambas as partes propõe que a futura D. Maria II case com o tio, D. Miguel. Este último, afastado do país pelo pai, acede à proposta, mas depois de regressar a Lisboa renega o acordo e implementa as suas ideias absolutistas.

Os liberais respondem e, com a liderança de D. Pedro, invadem Portugal através do Norte. Durante os dois anos seguintes a guerra civil vai ceifar milhares de vidas até que o exército liberal derrota decisivamente os absolutistas, exilando D. Miguel que vai perder o seu estatuto real e a pretensão ao trono.

  • Temas: História
  • Ensino: 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Na Serra do Pilar
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: José Hermano Saraiva
  • Produção: Videofono/ RTP
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.