Pesquisar

Independência de Timor-Leste

Depois de duas décadas de ocupação Indonésia, Timor-Leste tornou-se independente a 20 de Maio de 2002, Portugal, antiga potência colonizadora do território, desempenhou um papel relevante na obtenção deste estatuto por parte dos timorenses.

Um ano após a Revolução de 25 de Abril, Portugal consagrou a liberdade às suas províncias ultramarinas. A 28 de Novembro de 1975, Timor-Leste proclama a sua independência com Xavier do Amaral como Presidente da República e Nicolau Lobato como primeiro-ministro. Com essa proclamação veio também uma guerra civil. Indonésia decidiu invadir o território timorense com o pretexto de defender os cidadãos de etnicidade indonésia. Para combater esta força, a resistência timorense cria a Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (FRETILIN).

Durante a ocupação do território timorense, a Indonésia proibiu o uso do português e desencorajou o uso de tétum. Realizou uma censura à imprensa e fechou o país aos observadores internacionais. Após a morte de Suharto em 1998, a ONU, Portugal e Indonésia concordaram na criação de um referendo para conseguir resolver o problema da independência de Timor.

A 30 de Agosto de 1999, 78% do povo timorense votaram para a independência formal de Timor-Leste. No dia 18 de Setembro os primeiros contingentes de ”capacetes azuis” chegam ao país para auxiliar o processo da transição democrática de Timor. Mais tarde formam efectuadas eleições para a Assembleia Constituinte que criaram a constituição que viria a ser vigorada a 20 de maio de 2002, dia que foi devolvida a soberania a Timor.

Ficha Técnica

  • Título: 2002 - Independência de Timor Leste
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Sofia Leite
  • Produção: Amélia Gomes Ferreira
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.