Pesquisar

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", de Luís de Camões

Dizer um poema é um prazer sem regras. Não é preciso ser ator ou ter um timbre de voz especial; é dizer, sentindo cada palavra. Como o cantor Rui Reininho diz este "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", de Luís de Camões.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontade

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E enfim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís Vaz de Camões

Ficha Técnica

  • Título: Um Poema por Semana
  • Tipo: Programa de Poesia
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2011

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.