Pesquisar

O comércio e os artesãos na idade média

As conquistas de Lisboa e Santarém pelas forças de Afonso Henriques coincidem com o renascimento do espírito urbano no reino. Assiste-se ao aparecimento de uma classe comercial liderada pelos almocreves, que asseguram a circulação de bens e notícias, e um reforço da influência dos artesãos reunidos em confrarias ou "arruados".

As vias romanas e os rios foram os caminhos utilizados pelos almocreves para transportar mercadorias e notícias pelo reino durante a idade média, uma atividade que os transformou na coluna vertebral do sistema de comunicações da época.

Central na sua atividade, e no comércio em geral, foram as feiras que mereciam uma atenção especial por parte da coroa, existindo uma legislação especial para quem as frequentava. Uma destas regras era a isenção do pagamento de portagens nos caminhos de acesso e outra a impossibilidade de se ser preso durante o trajeto para um destes eventos.

A tendência para os artesãos se unirem em confrarias e de se juntarem nas mesmas ruas também surgiu neste período. Numa primeiro fase aconteceu de forma voluntária mas, mais tarde, passou a ser uma imposição dos regulamentos criados pelo reino para melhor controlar os artesãos da época.

Ficha Técnica

  • Título: Indústria em Portugal - A Idade Média Portuguesa
  • Tipo: Extrato de Documentário
  • Produção: RTP/ AEP
  • Ano: 2000

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.