Pesquisar

O norte como farol da indústria do século XIX

Após a guerra civil, que opôs liberais a absolutistas, seguiu-se a Regeneração, que marcou o nascimento do capitalismo industrial no país. Na segunda metade do século XVIII, Portugal procura modernizar-se, criando infraestruturas que se tornaram essenciais à criação de novas fábricas.

Fontes Pereira de Melo é o rosto da industrialização durante este período. Ministro das Obras Públicas e posteriormente Presidente do Conselho de Ministros, fez uma forte aposta na industrialização e desenvolvimento do país, pedindo empréstimos externos que financiaram a construção de estradas, caminhos de ferro, serviços regulares de barcos a vapor, correios e telefones.

Assiste-se ao aumento de unidades industriais e de importantes empresários, especialmente no Porto, cidade que assume a liderança do tecido empresarial português.

Apesar deste incremento a indústria em Portugal continua a ser arcaica, pouco inovadora, pouco mecanizada e com muito trabalho manual feito em domicílio. Por outro lado as fábricas são insalubres, têm poucas condições de trabalho e os operários têm pouca ou nenhuma informação.

Ficha Técnica

  • Título: História da Indústria em Portugal - Absolutismo, liberalismo, proteccionismo e livre-câmbio
  • Tipo: Extrato de Documentário
  • Produção: RTP/ AEP
  • Ano: 2000

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.